Quanto estudar no ensino médio e/ou na universidade?

O estudo realizado durante o ensino médio e o ensino superior é diferente do estudo realizado para prestar um vestibular ou concurso público. Neste post, não vou tratar das diferentes motivações para o estudo, intrínsecas ou extrínsecas, um tópico fundamental, mas que vou deixar para desenvolver em outra oportunidade. Vou falar dos métodos mais eficazes para estudar quando o foco é tanto ser aprovado nas disciplinas, quanto consolidar o conhecimento de modo que posteriormente ele seja útil na vida acadêmica ou na vida profissional, mas sem a pressão de uma prova como o vestibular no horizonte.

A maioria dos estudantes deixa para estudar na véspera da prova; eu inclusive, antes de estudar o assunto e me conscientizar da importância de não fazer isso. Essa estratégia é tão difundida porque ela funciona parcialmente; ao estudar na véspera, o conteúdo estudado ainda não foi totalmente esquecido na hora da prova, e é possível responder razoavelmente as questões, a depender do grau de dificuldade da prova. 

O aluno que presta atenção nas aulas, e só estuda na véspera, pode ter uma falsa ilusão de proficiência, porque pode até ir bem na avaliação. Mas depois da prova, esse conteúdo será completamente esquecido. Sem contar que, ao estudar na véspera, não raro passa-se a noite inteira estudando e o sono é negligenciado. Como já comentamos por aqui, o sono é muito importante para a memória, por isso pular uma noite de sono prejudica a consolidação da memória e será um tiro pela culatra.

A não ser que o conteúdo seja revisado continuamente, fortalecendo as conexões neurais da memória, ele será esquecido. O esquecimento é um mecanismo saudável do cérebro, para evitar a sobrecarga, e para garantir que não haja conexões neurais subutilizadas no cérebro. Isso significa que, quando não relembramos determinado conteúdo, estamos sinalizando para o nosso cérebro que ele não é relevante e pode ser esquecido.

Portanto, o melhor método para evitar passar pelo stress de memorizar todo o conteúdo na véspera da prova, e ainda garantir que o assunto será melhor relembrado, tanto para a prova quanto em outras ocasiões na vida acadêmica e profissional, é estudar um pouco todo dia. 

O segredo é todo dia dedicar pouco tempo (não precisa muito) para revisar a matéria vista em aula, fazer alguns exercícios, enfim, manter a matéria viva na memória. A curva de Ebbinghaus (conhecida também como curva do esquecimento e da retenção) demonstra como o declínio na recordação de um conteúdo é muito rápido, se ele não for revisado rapidamente.

 

Curva do Esquecimento e da Retenção de Ebbinghaus

Nesta curva, podemos ver como a retenção de um conteúdo que, inicialmente, era de quase 90%, em 20 minutos cai para meados de 50% e após 24h, permanece a retenção de apenas 20% do conteúdo original! 

Por isso a recomendação de revisar o conteúdo dado em aula no mesmo dia da aula, com revisões ideais no dia seguinte, na semana seguinte e depois a cada 30 dias.

Revisar o conteúdo estudado não é perda de tempo, é essencial para mantê-lo na memória! Testem estudar uma matéria dessa forma, um pouco por dia, todo dia, e vocês verão como o stress com a prova diminui, e a retenção do conteúdo a longo prazo aumenta muito, o que vai ajudá-los quando vocês precisarem recuperar esse conteúdo lá na frente.

Posted in Organização do estudo and tagged , , , .

Formada em Direito pela USP, cursando Psicologia e pós em Neurociência da Aprendizagem, aprovada em concursos e vestibulares diversos, apaixonada por educação, métodos de produtividade e meditação, criou o blog Projeto Estudos para compartilhar seus aprendizados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *